Pesquisar:

Design e competitividade Empresarial

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Escrever sobre um tema como este obriga-nos a pensa-lo segundo duas direções, a do Design e por outro, a da competitividade das empresas.
Após algumas pesquisas, sobre este último, parece não haver entendimento no que respeita ao significado do termo competitividade, apesar de este ser muito discutido nos debates televisivos e outros meios de comunicação. Pois parece haver uma grande diversidade opiniões, que tem importância no modo como se avalia a competitividade das empresas, e na interpretação dos seus resultados.
Contudo parece que com a nossa entrada na Comunidade Europeia, verificou-se uma maior abertura da nossa economia ao exterior e começamos a sentir os chamados efeitos da “Globalização”, que nos levaram a preocupantes mudanças, de níveis de competitividade.
Num contexto como o atual, qual poderia ser o contributo do Design, para a competitividade da empresa? A resposta leva-nos á definição de “Design”, pois o termo Design tem aparecido constantemente no nosso vocabulário. Associado a algo novo no mercado, estilo ou ainda, aparece quando queremos nos referir a uma coisa que esteja na moda. As interpretações possíveis do termo Design são variadas e estão ligadas muitas vezes à situação económica do momento. É importante dizer que este problema não ocorre apenas no nosso país mas, também em países mais avançados, que encontram dificuldades em encontrar uma única definição para o Design, pois a maioria dos conceitos são vagos e abstratos. A palavra Design é exageradamente usada na publicidade como símbolo de qualidade, de diferença entre os produtos.
Atualmente, o Design é, cada vez mais, visto como sendo um processo criativo, inovador e responsável por solucionar problemas, de extrema importância para a empresa. As várias áreas do Design trazem à empresa: criatividade, capacidade de resolução de problemas, criação de novos estilos, diminuição de custos de produção, melhor qualidade, funcionalidade, segurança, diferenciação, produtos mais atraentes e acrescenta mais valor aos produtos.
Também ligado às discussões sobre competitividade, surge-nos frequentemente o termo “inovação”, como sendo um fator importante para a melhoria da competitividade, o que me faz lembrar a opinião de um estudioso da metodologia do Design, no seu livro, “Teoria e Prática do Design Industrial”, de que o termo “inovação e “Design” se sobrepunham embora não fossem sinónimos. “…pois a inovação no Design baseia-se nas preocupações de uma determinada comunidade de utilizadores…”(Bonsiepe 1997), Design sem inovação não faz sentido, já a inovação por si só não é suficiente para ser verdadeiramente design. De facto, o Design é o processo que liga a criatividade e a inovação, e tem-se tornado progressivamente numa função critica e estratégica, nas organizações atuais em evolução, basta pensarmos que em países como o reino unido, segundo estatísticas divulgadas, 185.500 pessoas trabalham em Design, dá que pensar, não?
Cláudia Ferreira, 2ºDDI

Imagens