Pesquisar:

Critérios de Seleção de Participantes em Estágios

PROCESSO DE ESTÁGIOS DIRECIONADO A ALUNOS

Anualmente são candidatados 10% do total de alunos de cada Escola, até um máximo de 6 alunos por turma de 2º e 3º anos. Em caso de aprovação, a seleção dos alunos será efetuada tendo por base os seguintes critérios:

 

Os critérios da EHF são:

Critério 1 – Avaliação de desempenho técnico  em ambiente teórico (10%/20%) - Este parâmetro resulta da média das notas das disciplinas da área técnica + avaliação da componente prática pelo Orientador de Curso; 

Critério 2 - Resultados escolares (25%) - O/a aluno/a tem avaliações muito positivas e não tem módulos em atraso, no final do 1.º período do ano em que se realiza o estágio.

Critério 3 – Autonomia pessoal (20%) – o/a aluno/a demonstra capacidade em permanecer no estrangeiro durante o tempo de estada, sendo capaz de se organizar sozinho ou colaborar ativamente para o desempenho coletivo das tarefas domésticas. 

Critério 4 – Autonomia linguística (10%) - o/a aluno/a detém conhecimentos linguísticos numa língua estrangeira (nomeadamente Inglês) que asseguram a sua capaz integração social e profissional no local e organização de acolhimento em termos escritos;

Critério 5 – Autonomia linguística (15%) - o/a aluno/a detém conhecimentos linguísticos numa língua estrangeira (nomeadamente inglês) que assegura a sua capacidade para manter uma conversação;

Os critérios serão avaliados numa escala quantitativa de 0 a 20 valores.

 

Os critérios da EPO são:

Critério 1 – Resultados escolares (15%) – o/a aluno/a tem avaliações muito positivas, na globalidade das disciplinas e não tem módulos em atraso no final do 1.º período do ano em que se realiza o estágio.

Critério 2 - Avaliação de desempenho técnico  em ambiente teórico (30%) – este parâmetro resulta da média das avaliações das disciplinas da área técnica e da apreciação individual do orientador de curso

Critério 3 – Compromisso para com a Escola (15%) – o/a aluno/a participa ativamente em atividades curriculares e extracurriculares na Escola, é detentor de uma personalidade proativa, solidária, respeitadora e colaborante para com os colegas, docentes e funcionários.

Critério 4 – Autonomia pessoal (20%) – o/a aluno/a demonstra capacidade em permanecer no estrangeiro durante o tempo de estada, sendo capaz de se organizar sozinho ou colaborar ativamente para o desempenho coletivo das tarefas domésticas. 

Critério 5 – Autonomia linguística (20%) - o/a aluno/a detém conhecimentos linguísticos numa língua estrangeira (nomeadamente Inglês) que asseguram a sua capaz integração social e profissional no local e organização de acolhimento.

Os critérios serão avaliados numa escala quantitativa de 0 a 20 valores.

 

PROCESSO DE ESTÁGIOS DIRECIONADO A DOCENTES DA ÁREA TÉCNICA

Já para as experiências de trabalho dos Docentes serão convidados os das áreas técnicas, explicando claramente a metodologia – job shadowing numa empresa da sua área – e a relevância destes projetos, garantindo a retribuição enquanto se mantenham no estrangeiro. Anualmente serão candidatados um por Escola, de forma a todos terem oportunidade de participar, sem prejudicar o serviço docente.

 

 

Face ao montante atribuído pela Agência Nacional à INSIGNARE, esta assegura a marcação e pagamento das viagens, alojamento, transporte de e para o aeroporto.

O montante para refeições, transportes no local e “dinheiro de bolso” é transferido para o participante.

Imagens